Crea-RJ e CAU/RJ assinam Protocolo de Intenções

Em visita institucional ao Crea-RJ, a comitiva do CAU-RJ, composta pela Vice-Presidente Michelle Beatrice, pelo Presidente Sydnei Dias Menezes
e pelo Gerente de Fiscalização Rodrigo Abadi, encontrou-se com o presidente do Crea-RJ Miguel Fernández

O Presidente do Crea-RJ, Engenheiro Civil Miguel Fernández recebeu hoje, em seu Gabinete, a visita do Presidente do CAU/RJ - Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro, Arquiteto e Urbanista  Sydnei Dias Menezes juntamente com a Vice-Presidente, a Arquiteta e Urbanista Michelle Beatrice.

Os engenheiros e arquitetos fazem atividades que se complementam. E é muito importante que os Conselhos atuem juntos em algumas pautas. Portanto, nossa visita é no sentido de construir uma pauta comum para os engenheiros, arquitetos e urbanistas do Rio de Janeiro”, afirma o presidente do CAU/RJ, Arquiteto e Urbanista Sydnei Menezes.

A Vice-Presidente do CAU/RJ, Arquiteta e Urbanista Michelle Beatrice, completa: “Este é um momento histórico, juntos arquitetos e engenheiros. Este momento não só visa trazer de fato essa união entre nós engenheiros e arquitetos, mas juntos, no melhor sentido da palavra parceria,  compartilhar todo o nosso momento histórico e multidisciplinar para o bem da sociedade”.

A pauta do encontro foi a realização de uma parceria entre os conselhos a fim de criar uma Fiscalização Inteligente através das ARTs (Anotações de Responsabilidade Técnica) do Crea-RJ  e das RRTs (Registros de Responsabilidade Técnica) do CAU/RJ. O intuito é garantir que profissionais registrados no Crea-RJ e no CAU/RJ estejam à frente dessas obras.

O Presidente do Crea-RJ, Engenheiro Civil Miguel Fernández, avalia o encontro: “A nossa gestão à frente do Crea começa mostrando que vai ser uma gestão de diálogo. Hoje, o presidente do Conselho de Urbanismo do Estado do Rio de Janeiro, meu amigo Sydnei, veio nos visitar. E eu vou retribuir esta visita em breve ao CAU/RJ mostrando que nós vamos defender os interesse do nosso setor, dialogando e trabalhando conjuntamente. 

Miguel continua: “Estamos fazendo história aqui, mostrando que os conselhos são autônomos, mas os interesses profissionais são conjuntos e agindo de forma coletiva nós vamos alcançar a defesa das nossas profissões. Conto com cada um de vocês profissionais que estão aí trabalhando construindo sim essa harmonia  da defesa dos interesses das políticas da nossa área

Ao final do encontro foi assinado o Protocolo de Intenções, tendo por objetivo o compartilhamento de informações e ações com objetivos comuns, com vistas a intensificar e fortalecer as atividades institucionais e de fiscalização das entidades.

29º Congresso da Confederação Pan-Americana de Engenharia Mecânica, Elétrica e Ramos Afins (COPIMERA)

29º Congresso da Confederação Pan-Americana de Engenharia Mecânica, Elétrica e Ramos Afins (COPIMERA), realizado entre os dias 5 e 7 de junho de 2023, reuniu autoridades e lideranças do setor em Maceió, Alagoas.

Conversamos com o Presidente da COPIMERA e membro do Conselho Consultivo da Federação Nacional de Engenharia Mecânica e Industrial (FENEMI), Mestre, Doutor e Pós-Doutor em Engenharia Mecânica, Professor do Departamento de Engenharia Mecânica da UFSJ, Jorge Nei Brito. 

O que representa a COPIMERA para a Engenharia Pan-americana?

A COPIMERA (Confederación Panamericana de Ingeniería Mecánica, Eléctrica, Industrial y Ramas Afines), é uma organização que representa a Engenharia Pan-americana nas áreas de Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia Industrial e outras áreas afins. A  COPIMERA  tem como objetivo promover o desenvolvimento profissional, científico e técnico dessas disciplinas em todo o continente americano.

A COPIMERA atua como uma plataforma para a cooperação e o intercâmbio de conhecimento entre os profissionais, acadêmicos, pesquisadores e instituições relacionadas às áreas abrangidas pela confederação. Ela busca promover o avanço da engenharia, estimular a inovação, fortalecer os laços entre os engenheiros das diferentes regiões e impulsionar o progresso tecnológico no âmbito pan-americano.

 Além disso, a COPIMERA organiza conferências, congressos, seminários e outros eventos acadêmicos e científicos, nos quais os profissionais e estudantes podem compartilhar seus conhecimentos, apresentar pesquisas e discutir os avanços e desafios nas áreas da engenharia mecânica, elétrica, industrial e afins.

Em resumo, a COPIMERA desempenha um papel importante ao promover a colaboração e o avanço da Engenharia Pan-americana, reunindo profissionais e instituições para impulsionar o desenvolvimento dessas disciplinas em toda a região.

O tema deste congresso foi “Eficiência Energética: países pan-americanos e Agenda 2030”. Que análise o senhor faz deste assunto?

A escolha do tema “Eficiência Energética: países pan-americanos e Agenda 2030” para o Congresso COPIMERA é altamente relevante e oportuna devido a importância da Eficiência Energética, por se tratar de uma abordagem pan-americana, por estar alinhado com a Agenda 2030 e por envolver os Engenheiros Mecânicos, Eletricistas, Industriais e afins.

Portanto, a escolha do tema “Eficiência Energética: países pan-americanos e Agenda 2030” para o “29º Congresso Internacional COPIMERA” reflete a importância estratégica desse assunto, a necessidade de cooperação regional e o compromisso com os objetivos de desenvolvimento sustentável. Ao promover a discussão e a troca de conhecimentos nessa área, o congresso contribui para impulsionar a transição energética e fortalecer a engenharia como um agente de transformação em direção a um futuro mais sustentável.

Como está a eficiência energética dos países pan-americanos?

A Eficiência Energética dos países pan-americanos, incluindo o Brasil, varia significativamente de acordo com o nível de desenvolvimento econômico, políticas governamentais, infraestrutura e conscientização da sociedade em relação ao tema.

Alguns países pan-americanos têm implementado medidas eficazes para melhorar a Eficiência Energética. Por exemplo, Canadá, Estados Unidos e alguns países da União Europeia têm políticas e regulamentações rigorosas, além de programas de incentivo, para promover o uso eficiente da energia em diferentes setores, como indústria, transporte e construção. Esses países também têm avançado na adoção de tecnologias mais eficientes, como iluminação LED, e na melhoria da eficiência energética de edifícios e equipamentos.

No entanto, em muitos países pan-americanos, incluindo alguns da América Central, Caribe e América do Sul, a Eficiência Energética ainda é um desafio. A falta de investimentos, infraestrutura adequada e conscientização pública são alguns dos obstáculos enfrentados. Além disso, em muitos casos, os preços baixos da energia e a falta de incentivos econômicos desencorajam investimentos em eficiência energética.

E no Brasil, especificamente, como está a eficiência energética?

No caso do Brasil, a Eficiência Energética tem sido uma preocupação crescente nas últimas décadas. O país possui um potencial significativo para melhorar a eficiência energética em vários setores, como transporte, indústria e edifícios.

O governo brasileiro tem adotado medidas para promover a eficiência energética, como a criação de programas e regulamentações específicas. O Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (PROCEL), por exemplo, busca promover o uso eficiente da energia elétrica por meio de etiquetagem de equipamentos, incentivos fiscais e campanhas de conscientização.

No entanto, apesar dos esforços, há desafios significativos a serem enfrentados. O setor de transporte é um exemplo, onde a Eficiência Energética ainda é relativamente baixa, com uma frota de veículos com baixo índice de eficiência e uma dependência considerável de combustíveis fósseis. A indústria também precisa de mais investimentos em tecnologias eficientes e processos produtivos de baixo consumo energético. Além disso, o setor residencial e comercial pode se beneficiar de maior conscientização sobre a importância da eficiência energética na redução do consumo.

É importante ressaltar que, embora haja desafios, também existem oportunidades significativas para melhorar a eficiência energética nos países pan-americanos, incluindo o Brasil. A conscientização crescente sobre as questões climáticas, o desenvolvimento de tecnologias mais eficientes e a necessidade de reduzir os custos de energia podem impulsionar iniciativas e investimentos nessa área. O engajamento de governos, setor privado, academia e sociedade civil é essencial para avançar na eficiência energética e alcançar os objetivos estabelecidos na Agenda 2030.

 Que balanço o senhor faz do 29º Congresso da Confederação Pan-Americana de Engenharia Mecânica, Elétrica e Ramos Afins? 

O “29º Congresso Internacional COPIMERA”, com certeza absoluta, está sendo um grande sucesso em todos os sentidos. Inicialmente foram abertas 300 inscrições. Posteriormente, devido a demandas passaram para 350 e posteriormente 452 inscritos. Tivemos doze minicursos (todos com as 50 vagas preenchidas), 14 palestras (6 nacionais e 8 internacionais) e 4 Visitas Técnicas. 

Além do “29º Congresso Internacional COPIMERA”, aconteceu paralelamente a “XXXIII Assembleia Geral da COPIMERA”, onde destaco as eleições para Presidente da COPIMERA (Jorge Nei Brito | BRASIL), 1º Vice-Presidente COPIMERA (Eduardo Mario Flores | ARGENTINA) e 2º Vice-Presidente COPIMERA (Peter Celedon |COSTA RICA). De acordo com o Regimento COPIMERA, o Presidente eleito pode indicar dois cargos. Minhas indicações foram: Michele Costa | BRASIL como Tesoureira da COPIMERA e da Fundação COPIMERA e Edwin Ochoas | GUATEMALA (Secretário).

Quais as perspectivas para o futuro das Engenharias Mecânica, Elétrica e Ramos Afins?

As perspectivas para as Engenharias Mecânica, Elétrica, Industrial e Ramos Afins nos países das Américas são bastante promissoras. Essas áreas desempenham um papel fundamental no desenvolvimento econômico, na inovação tecnológica e na busca por soluções sustentáveis. Algumas das principais perspectivas para o futuro incluem: Transição para Energias Renováveis; Eficiência Energética e Conservação; Indústria 4.0 e Automação; Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável e Digitalização e Tecnologias Emergentes.

Neste contexto, não há dúvidas de que os ENGENHEIROS terão um papel central na condução dessas transformações e na busca por soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável e o bem-estar das sociedades.

Carta aberta Crea-RJ e CRT-RJ sobre acidente na ponte Rio-Niterói

CARTA ABERTA

CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO RIO DE JANEIRO – CREA-RJ

CONSELHO REGIONAL DOS TÉCNICOS INDUSTRIAIS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – CRT-RJ

O acidente ocorrido na segunda-feira, 14 de novembro, quando o navio graneleiro São Luiz, que estava à deriva na Baía de Guanabara, chocou-se com um dos pilares da Ponte Rio-Niterói, não pode ser atribuído ao acaso ou a condições climáticas severas. 

Embarcações são obras de construção naval e, como todo produto da área tecnológica, requer manutenção assistida por engenheiros e técnicos, pois trazem riscos à sociedade. Qualquer que tenha sido a relação de causalidade da colisão da embarcação com a ponte, não afasta a necessária identificação dos responsáveis técnicos pelo acidente. 

Hoje existem cerca de 200 embarcações abandonadas na Baía de Guanabara, um passivo ambiental enorme, que já se arrasta por mais de três décadas. O risco é grande para o meio ambiente, uma vez que estas embarcações estão sujeitas a derramamento de óleo e outras substâncias químicas, que podem contaminar o ecossistema local.  

Além disso, estas embarcações abandonadas impactam a navegabilidade e a pesca artesanal na região. Por tudo isso, é necessário um esforço coletivo das autoridades públicas para evitar outros eventos dessa natureza. 

Neste sentido, considerando as prerrogativas legais de fiscalizar as atividades técnicas aplicáveis à construção, operação e manutenção de embarcações, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro juntamente com o Conselho Regional dos Técnicos Industriais do Estado do Rio de Janeiro se colocam à disposição das demais autoridades que apuram as responsabilidades pelo ocorrido, colaborando com a identificação e responsabilização dos agentes que deram causa ao dano. 

 

Rio de Janeiro, 16 de novembro de 2022

Luiz Antonio Cosenza
Eng. Eletricista e de Seg. do Trabalho
Presidente do CREA-RJ

Gilberto Palmares
Técnico em Eletrônica
Presidente do CRT-RJ

Quais as atividades realizadas pela Mútua na SOEA?

Mais cuidados no estande da Mútua No estande da Mútua na ExpoSoea – feira de tecnologia realizada durante a Semana Oficial – os participantes realizam novas inscrições, emitem anuidades, atualizam seus cadastros, tiram dúvidas sobre os benefícios reembolsáveis e sociais e, ainda, fazem adesão ao TecnoPrev, o plano de previdência completar exclusivo dos profissionais com registro no Crea. Os benefícios, produtos e serviços oferecidos pela Caixa de Assistência buscam conferir apoio, segurança, saúde e estabilidade aos associados e suas famílias. Instituições parceiras da Mútua estarão no local, inclusive a Mongeral Aegon, que disponibiliza aos participantes do TecnoPrev possibilidades de ampliação das coberturas do pecúlio oferecido pela Mútua. Também irão atender os participantes do evento na ExpoSoea outros parceiros, como a administradora de saúde Extramed e a Dynamus (Clube Mútua de Vantagens), que traz as empresas EngSure, Embracon e Drogasil – esta, com aferição de glicose e pressão.

Crea-RJ na Semana Oficial de Engenharia e Agronomia

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado (Crea-RJ) está presente na 77ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea), o maior evento nacional da área tecnológica, que nesta edição aborda o tema Tecnologia, Sustentabilidade e Responsabilidade Social para o Desenvolvimento Nacional.  O evento acontece em Goiânia (GO) até o próximo dia 6.

A fim de valorizar estudantes e pesquisadores que contribuem para a ciência e tecnologia do país; e neste momento de profunda crise energética mundial, o Crea-RJ apresenta em seu estande, na 77ª Soea, o protótipo de um projeto inovador. Trata-se do projeto EnerGente – Ilhas de Policogeração Sustentável, uma proposta de geração simultânea e descentralizada de eletricidade, água destilada, biodiesel e outros insumos, por meio de painéis solares de alta concentração.

O projeto foi desenvolvido no Laboratório de Nano e Microfluídica e Microssistemas LabMEMS, chefiado pela engenheira mecânica e professora Carolina Palma Cotta, do Programa de Engenharia Mecânica da Coppe/UFRJ, que fará palestra de apresentação do projeto nesta quarta-feira, dia 5, às 15h, durante o evento, junto com sua equipe.

“O Crea-RJ parabeniza a Coppe/UFRJ pelo processo de pesquisa que esta universidade conduz, desenvolvendo novos produtos com alta tecnologia, de olho no futuro e em busca da Sustentabilidade”, afirma o presidente do Conselho, Luiz Antonio Cosenza.

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro aproveita a oportunidade para lançar em seu estande, durante a 77ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia, o Censo Mulher Crea-RJ e a edição especial da Revista Ângulos (https://angulos.crea-rj.org.br/).

A participação do Crea-RJ conta com o apoio da Mútua – Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea – via contrato firmado entre ambas instituições. Para mais informações sobre a Mútua e seus produtos acesse https://www.mutua.com.br/

CLIQUE AQUI E CONFIRA A GALERIA DE FOTOS DO EVENTO

 

Prosperidade Profissional e Previdência – Mútua

Um dos temas do universo Mútua é a questão da previdência, com enfoque na educação financeira e na conscientização do profissional sobre a importância da construção de uma aposentadoria complementar. E para isso, os profissionais têm o TecnoPrev, o plano de previdência da Mútua.

O TecnoPrev é o patrocinador de uma das palestras da 77ª SOEA que vai falar sobre “Prosperidade Profissional e Previdência”, com o professor e especialista em finanças e empreendedorismo Marcos Silvestre, “o tio próspero”.

Economista com MBA pela USP e diretor da EKNOWMIX Educacional. Trabalha como pensador e educador para a vida prática, focando na conquista de bem-estar, longevidade e prosperidade. Criador do canal “O Tio Próspero”, sua missão é inspirar e orientar gente madura 50+, com educação prática para resolver a vida e fazer tudo prosperar.

Autor de diversos bestsellers educativos e comunicador da BandNews FM, Marcos Silvestre apresenta os programas Na Ponta do Lápis, que aborda Economia Popular e Finanças Pessoais, e Por Conta Própria, que trata de Empreendedorismo e Gestão da PME.

A programação técnica do evento está bem completa, contando com 11 palestras patrocinadas pelo TecnoPrev da Mútua. Ainda são destaque na agenda do evento  Jac Fressatto, criador do Robô Laura, primeira plataforma de inteligência artificial do mundo, que vai falar sobre “O algoritmo da vida”; “Startups – Uma realidade na Engenharia e na Agronomia”, com Felipe Matos, presidente da Associação Brasileira de Startups, autor do livro “10 Mil Startups”, CEO da Sirius: Escola de tecnologia e futuro; e “Equidade de Gênero e Liderança”, com Ana Fontes, empreendedora Social, Fundadora da RME – Rede Mulher Empreendedora e do Instituto RME eleita uma das 20 mulheres mais poderosas do Brasil pela revista Forbes em 2019, Linkedin Top Voices 2020.

A programação cultural da SOEA também é um oferecimento da Mútua, com patrocínio 100% do TecnoPrev. Apresentações culturais para recepção dos participantes, atrações locais durante os intervalos e ao final dos dias da programação técnica, parcerias com bares e restaurantes com promoções exclusivas e uma programação especial no Clube de Engenharia de Goiás fazem parte da agenda programada pela Mútua para a 77ª SOEA.

Mútua na 77 SOEA

A Mútua é presença certa na 77ª Semana Oficial, com a participação da Diretoria Executiva e dos diretores regionais de todo o país. A Caixa de Assistência ainda vai estar na ExpoSoea, o espaço com estandes das instituições do Sistema e de parceiros. No local, a equipe da Mútua vai realizar atendimentos aos participantes: novas inscrições, anuidades, benefícios, TecnoPrev, planos de saúde, renegociações, Clube Mútua de Vantagens, entre outros.

Será realizada a palestra “O papel da Mútua na Responsabilidade Social do Sistema Confea/Crea e Mútua”, com moderação do presidente da Mútua, Francisco Almeida. O debate vai girar em torno da importância da Instituição como uma caixa de acolhimento dos profissionais, que trabalha há 45 anos pelo bem-estar e a qualidade de vida dos engenheiros e engenheiras. Os palestrantes serão os presidentes de Creas Ricardo Rocha (PR), Nancy Walter (RS) e Carmem Nardino (AC).

Também vai ser um momento em que os profissionais e estudantes poderão ter uma visão mais ampla da Mútua, ao conhecer mais sobre os novos projetos que estão em desenvolvimento e que buscam atender a outras necessidades dos profissionais, e que vão além dos recursos financeiros que a Mútua disponibiliza. “A Mútua é a caixa de acolhimento do profissional, que o apoia quando mais precisa e que lhe assegura uma série de auxílios para garantir o cuidado com a família. Mas, também, é a Caixa de Assistência que o incentiva, que proporciona oportunidades de qualificação, que lhe dá o suporte para se colocar ou recolocar no mercado de trabalho, que fomenta sua atividade empreendedora ou seu negócio, enfim, que trabalha para alavancar sua carreira”, destaca Francisco Almeida.

Outro aspecto que vai nortear a apresentação será o da Mútua como agente transformadora, que apoia e promove ações de responsabilidade social, buscando melhorias para toda a sociedade.