Presidente eleito Luiz Cosenza toma posse no Crea-RJ

O presidente eleito pelos profissionais para estar à frente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro no próximo triênio, o engenheiro eletricista e de segurança do trabalho Luiz Antônio Cosenza tomou posse nesta terça-feira (2/1) na sede do Crea-RJ. A transmissão do cargo foi feita pelo presidente em exercício, engenheiro mecânico Paulo César Smith Metri, que desejou sucesso à nova administração.

Na sequência, Cosenza se reuniu com os colaboradores do Crea-RJ e, em um auditório lotado, apresentou um pouco das propostas de sua gestão. Sempre pregando a democracia e a troca de informações, Cosenza fez questão de ouvir as sugestões, elogios, críticas, solicitações, esperanças, pedidos, propostas, desejos e expectativas dos funcionários.

“Temos o compromisso de colocar nas atividades-fim do Crea-RJ os funcionários da casa. Vamos discutir a questão da promoção para fazermos o reenquadramento a fim de acabar com essa história de as pessoas dependerem de um cargo para poder ter salário. Vamos discutir sobre atendimento com os atendentes para saber o que está certo e o que está errado, saber se o atendimento agendado está funcionando, criar meios para que o profissional que precisar de um atendimento emergencial e for até uma inspetoria ou posto de atendimento não saia sem ser atendido”, prometeu Cosenza.

O presidente também demonstrou a sua intenção em investir na fiscalização e em descentralizar o Conselho. “Vamos levantar como está a questão dos fiscais, se o número é suficiente ou se está faltando profissional. Vamos fazer um grande levantamento, se inteirar dos trâmites dos processos, avaliar a real necessidade de se realizar um novo concurso público. Cada região tem características diferentes, então a ideia é fazer um seminário de fiscalização em cada local para saber como a gente irá fazer a fiscalização naquela região. A região serrana, por exemplo, tem como ponto forte a área de agronomia, já no noroeste tem o setor de pedreiras. E são fiscalizações diferentes, então a gente precisa fazer esses debates nas regiões, não aqui na sede. É isso que a gente tem que fazer para poder viabilizar o Crea. O Conselho precisa atuar em defesa do profissional, das empresas e da sociedade”, destacou.

Convidados para compor a mesa de debates, o presidente da Associação dos Servidores do Crea-RJ (Ascrea-RJ), Fernando Mendes Neto; o vice-presidente do Sindicato dos Servidores das Autarquias de Fiscalização Profissional do Rio de Janeiro (Sinsafispro-RJ), Adjarba Oliveira e a intersindical – representante da Ascrea-RJ junto ao Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro (Senge-RJ) -, engenheira agrônoma Cleude Pereira da Silva, também puderam expor as suas expectativas para a nova gestão.

O recém-empossado conselheiro federal da modalidade elétrica e ex-presidente do Crea-RJ, José Chacon de Assis, prestigiou o evento. Para Chacon é momento de inaugurar uma nova era no Crea-RJ. “É tempo de deixar os ranços no passado e fazer o Conselho estar, cada vez mais, a serviço da sociedade. Isso nós só conseguiremos se cumprirmos o grande objetivo do Crea que é garantir a qualidade e a segurança dos nossos serviços, produtos e profissionais”, definiu garantindo que estará, sempre que possível, à disposição no Crea-RJ.